Cirurgia bariátrica: bom para pacientes e planos de saúde

Compartilhe este artigo!

Cirurgia bariátrica: bom para pacientes e planos de saúde

cirurgia bariátrica em pacientes com obesidade mórbida ou grave, que são mais vulneráveis a doenças relacionadas ao seu condicionamento físico está cada vez mais acessível. Há algum tempo, pessoas nessas condições podem contar com os planos de saúde para realizarem o procedimento de redução do estômago.

E, além da vantagem aos conveniados, as operadoras também são beneficiadas com este tipo de cobertura. Isso porque as operadoras gastam três vezes mais em internações de pacientes obesos do que com um paciente com peso normal.

Esse, com certeza, foi um fator de grande importância para que as operadoras autorizassem o processo. Além disso, a cirurgia pode diminuir o uso de remédios para controle de diabetes em até 80% dos casos, auxiliando igualmente na redução das chances do aparecimento de enfermidades cardiovasculares e outras morbidades.

Contudo, o procedimento só foi autorizado pelas empresas após o Ministério da Saúde ter estabelecido os critérios mínimos para sua execução. Tais critérios seguem os parâmetros norte-americanos, muito diferentes dos nacionais.

A preocupação com a saúde (além do lado estético) auxilia na prevenção de doenças que, como a já citada diabetes, prejudicam o organismo humano de várias formas. Por exemplo, cegueira, amputação de membros inferiores, doença renal e impotência sexual são causadas pela diabetes, provando que um tratamento efetivo como a Cirurgia do Aparelho Digestivo e Obesidade é sim uma boa alternativa.

A diabetes tipo 2, que corresponde a 90% dos casos no Brasil, pode ser controlada com uma alimentação balanceada, atividades físicas regulares e aplicação de insulina. Contudo, é muito mais difícil passar a seguir um estilo de vida tão rigoroso do que se recuperar de um processo cirúrgico, o que faz com que muitos pacientes prefiram à bariátrica.

Vale lembrar que, no entanto, mesmo após a cirurgia, hábitos saudáveis devem ser adotados para que os pacientes possam ter uma recuperação definitiva.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>